domingo, 27 de dezembro de 2009

E que venha 2010 - Novos Dias




NOVOS DIAS - SÉRGIO VAZ

“Em 2010 vai ser pior...
Pior para quem estiver no nosso caminho."




Então que venham os dias.
Um sorriso no rosto e os punhos cerrados que a luta não para.
Um brilho nos olhos que é para rastrear os inimigos 

(mesmo com medo, enfrente-os!).
É necessário o coração em chamas para manter os sonhos aquecidos. 

Acenda fogueiras.
Não aceite nada de graça, nada. Até o beijo só é bom quando conquistado.
Escreva poemas, mas se te insultarem, recite palavrões.
Cuidado, o acaso é traiçoeiro e o tempo é cruel, tome as rédeas do teu 

próprio destino.
Outra coisa, pior que a arrogância é a falsa humildade.
As pessoas boazinhas também são perigosas, sugam 

energia e não dão 
nada em troca.
Fique esperto, amar o próximo não é abandonar a si mesmo.
Para alcançar utopias é preciso enfrentar a realidade.
Quer saber quem são os outros? Pergunte quem é você.
Se não ama a tua causa, não alimente o ódio.
Por favor, gentileza gera gentileza. Obrigado!
Os Erros são teus, assuma-os. Os Acertos Também são teus, divida-os.
Ser forte não é apanhar todo dia, nem bater de vez em quando, é perdoar e pedir perdão, sempre.
Tenho más notícias: quando o bicho pegar, você vai estar sozinho. Não cultive multidões.
Qual a tua verdade ? Qual a tua mentira? Teu travesseiro vai te dizer. 

Prepare-se!
Se quiser realmente saber se está bonito ou bonita, pergunte 

aos teus inimigos, nesta hora eles serão honestos.
Quando estiver fazendo planos, não esqueça de avisar aos teus pés, são eles que caminham.
Se vai pular sete ondinhas, recomendo que mergulhe de cabeça.
Muito amor, muito amor, mas raiva é fundamental.
Quando não tiver palavras belas, improvise. Diga a verdade.
As Manhãs de sol são lindas, mas é preciso trabalhar também nos 

dias de chuva.
Abra os braços. Segure na mão de quem está na frente e puxe a 

mão de quem estiver atrás.
Não confunda briga com luta. Briga tem hora para acabar, a luta é 

para uma vida inteira.
O Ano novo tem cara de gente boa, mas não acredite 

nele. Acredite em você.



terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Um Feliz Natal a todos

Desejo a todos os leitores desse humilde blog UM FELIZ NATAL e UM PROSPERO ANO NOVO.
E que no dia 25 não seja só um momento de troca de presentes e sim um momento de refereciamos o nascimenro daquele que derramou seu sangue na cruz por nós, Jesus Cristo.

E por fim, não faça do seu natal uma efeméride da ilusão.

Efeméride da ilusão.

Eis aqui o Natal.
Eis aqui o irracional
De uma data tão especial.
Eis aqui o sentimento
Em forma de capital.
Eis a hipocrisia,
A demagogia,
As palavras pronunciadas com heresia.

Eis a efeméride da ilusão.
Seja você cristão ou não.
Eis o profano pronunciando votos de felicidades.
Eis o plebeu em forma de burguês
Vivendo sonhos de insensatez
Graças a um salário aditivado que recebera no mês.
Eis o ateu falando bem de Deus.
Eis o cristão se embriagando em nome desse mesmo Deus.

Eis os que mal se falam
Mas agora se abraçam e se confraternizam
Celebrando a natalina falsidade.

Eis os religiosos mundanos
Que remetem-se a atos insanos
De um natal profano.

Eis a felicidade da criança,
Mesmo que ilusória,
Ardilosa e fantasiosa.

Ao menos isso!
Mas será só isso?

Eis de fato a redenção.
O momento é mágico
Mas a real magia se perde
Em presentes sem expressão
Laçados a enganação.

O ator principal
Está travestido de vermelho
Enquanto o aniversariante está de escanteio.
Creio eu nada satisfeito
Com a festa que armaram pra ele.



















Autor: BrunoRico

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Primeiramente, peço desculpa pela ausência.

Bem, nesse post de hoje, vou colocar a entrevista do Ferrez com Mano Reco feita para o quadro Interferencia do programa Manos e Minas. De um lado Ferrez que não é de acredita muito em Deus e do outro lado Mano Reco, convertido e com alto conhecimento em teologia. Enfim papo cabuloso. Se liga só:



Para quem quiser acompanhar ( È mais proveitoso) essa ENTREVISTA COMPLETA (45 minuto), clique AQUI.

Paz!!!!

domingo, 29 de novembro de 2009

Os melhores da década do Hutúz.

A décima e última edição do Prêmio Hutúz consolidou os melhores da cultura Hip Hop numa noite de muita emoção no Canecão, tradicional casa noturna do Rio de Janeiro. Confira os vencedores da maior consagração do movimento black nacional de todos os tempos!
CONFIRA OS VENCEDORES:

Melhores grupos ou artistas solo Gospel da década
Ao Cubo
Dj Alpiste
Apocalipse 16




Melhores produtores Musicais da década
Erick 12
Rafa
KL Jay

 

Melhores Crew's de Break da década
Die Hard Crew
DF Zulu Crew
Athos Crew




Melhores DJ's da década
DJ CIA
DJ Hum
KL Jay 



Melhores Grupos ou Artistas Solo Feminino da década
Visão de Rua – Dina Di
Nega Gizza
Negra Li




Melhores do Graffiti
Ment
Anarkia
Graphis 



Melhores Demos Masculino da década

OBando
ADikto
Rafuagi




Melhor Grupo Norte Nordeste
Costa e Costa
Comunidade da Rima
Rapadura 



Melhores Revelações da década
Atitude Feminina
Inquérito
Sabotage (in memorian)




Melhores Demos Feminino da década
Lívia Cruz
Nega Gizza
Afro Nordestinas
 






Melhores Álbuns da década
Dos barracos de madeira aos palácios de platina – Realidade Cruel
Provérbio 13 – 509-E
Declaração de Guerra – Mv Bill



Melhores vídeos clipes da década
Rapping Hood
Brasil com P - GOG
Soldado do Morro – Mv Bill
Vida Loka 2




Melhores Músicas da década
Gog
DMN
MV Bill
Racionais



Melhores Grupos ou artistas solo da década
Facção Central
Mv Bill
Racionais Mcs
Sabotage

 

Fonte: Hutuz



 


 





quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Procura-se o futuro.

Agora é presente.
Não, agora é passado.
Os segundos que passaram não voltam mais.
O último suspiro dado já é passado.
O presente existe.
O passado existiu.
Mas e o futuro, onde está?
Ele não está.
Ele nunca esteve.
Ele nunca veio,
E se veio já se foi.
Virou passado.
Aliás, temos lembranças do passado,
Mas nunca do futuro.
Do futuro temos medos e aflições,
Expectativas e suposições.
O futuro é uma conversão do presente,
É um tempo ausente e inexistente.
Quem se aflige pelo futuro
Se aflige pelo nada.
Quem vive o futuro morre no presente.
E quem morre no presente não vive em tempo algum,
Talvez no passado.
Mas de que adianta viver de passado ou no passado?
De que adianta viver de futuro ou no futuro?
Talvez a resposta venha amanhã.
Talvez o futuro seja melhor amanhã.
Talvez.

BrunoricO.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

20 de novembro Dia da Consciencia Negra

O Dia da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira.

O dia da Consciência Negra é uma forma de discutir a questão da igualdade racial.

Antes, a questão da igualdade racial era discutida no dia 13 de maio, data do aniversário da assinatura da
Lei Áurea pela então princesa Isabel que libertou os escravos em 1888. Vale a pena lembrar que o Brasil foi um dos últimos países no mundo a abolir a escravidão. Já o dia 20 de novembro relembra a morte de Zumbi dos Palmares, que aconteceu muito antes, em 1695.





"Que a pele negra não seja escudo para os covardes, que habitam na senzala da mediocridade, por que nascer negro é consequência, ser é consciência."
(Sérgio Vaz)

Zumbi
Akins Kinte
Sérgio Vaz
Gamza Zumba
Ferréz
Malcom x
Márcio Batista
Benedita da Silva
Rose Dorea
Sandra de Sá
Profª Lu
De Lourdes
Marvin Gaye
Wesley Noog
Robson Canto
Martin Luther King
Sabotage
Gato Preto
Gog
Sacolinha
Alessandro Buzo
Leci Brandão
Jéssica Balbino
Os Panteras Negras
COOPERIFA os poetas e poetisas
Fato Realista
Facção Central
Favela Brasil
Favela Mundial
1dasul
A familia
Enigmas de Periferia
Periferia do Brasil inteiro

E as demais pessoas com sangue negro na veia, a nossa força é a nossa inteligência.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Indicação de Blog

Salve, salve caros leitores que acompanham esse hulmide portal eletronico!

Nessa postagem de hoje estarei indicando um excelente blog, União Libertaria. Informação, poesia, reflexões e noticias você podera conferir no blog, busque ler cada vez mais meu amigos, busque conhecimento, procure fazer sua revolução pessoal. Logo abaixo confira a descrição do blog que relatei acima.

União Libertária.

Descrição: Pretendemos ir ate a morte por melhorias junto ao justo ... Achamos pelo menos pra nos a formula ou quem sabe para uma maioria de acabar com a depressão contínua de pensar que ira morrer um dia e que vai ser apagado da história, ser lembrado como uma pessoa que viveu uma vida fantasma, não fez nada e insistiu em pensar que não tinha jeito enquanto nossos irmãos(as) morriam... A luta é por justiça social tirando de vez do nosso povo o conceito de que a vida de quem tem mais dinheiro e poder tem mais importância de quem não tem nada... Não dá mais pra ficarmos quietos !! Cada dia que se passa mais é profunda a revolta consciente e a determinação, iremos lutar por cada um conscientizando que não podemos ser apenas ?carneirinhos alegres? submissos aos nossos medos e certezas impostas por tiranos inescrupulosos e materiais alienadores ....


Clique AQUI e conheça o blog União Libertaria








Paz!!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

1 ano de Vanguarda Rap Nacional

Salve manos e minas!


A comunidade Vanguarda do Rap Nacional está completando 1(um) ano de existencia, alias 1 ano de luta, de cultura, de resistencia, de ideias, de inovação e de muito debates em torno do Rap e de outros diversos assuntos interessantes, eu como profundo seguidor/admirador do rap e da comunidade citada acima não poderia deixar de fazer um post sobre o que a mesma está nos oferecendo nessa celebração. Para aqueles que não conhecem a comunidade e como ela se originou deixarei logo abaixo um breve release do Vanguarda Rap Nacional.

Release:

A Vanguarda do Rap Nacional foi criada em 11 de novembro de 2008. Tínhamos apenas a vontade de reunirmos manos, minas/seguidores do Rap Nacional (enfim) que estivessem dispostos a realmente debater, lutar para com tudo que envolva a nossa existência. Educação, política, religião, drogas, crimes, musica, Hip Hop...Tudo mesmo. Sabemos que a internet era/é um ótimo meio de aprendizado, e é isso que fazemos dela, criamos uma família que respeita a opinião de terceiros, que mostra um outro lado da moeda, o aprendizado só existe quando se é contestado. Então, criamos a comunidade “Vanguarda” para reunirmos esse tipo de seguidor, esse tipo de ser humano. E a vanguarda está aberta para qualquer um que queira ensinar, aprender, debater, discutir...Mas o que nós prezamos é o respeito para com qualquer trabalho, para com qualquer pessoa, isso é ser um "Vanguarda".

Vanguarda significa estar á frente, e é isso que somos, estamos à frente dos que pensam que o rap tem que está estacionado em um lugar vago no meio do nada. Não nascemos para andar em círculo, é isso que muitos têm que entender.
De uma comunidade onde queríamos que tivesse apenas 30, 40 membros, passamos dos MIL MEMBROS. (Nunca lutamos por quantidade, lutamos por qualidade) e tudo foi tomando proporções grandes. Aí veio a idéia do BLOG com o intuito de ajudar grupos que estejam começando, grupos que tem talento mas nem sempre tem uma oportunidade de mostrar seu trabalho, obtendo também entrevistas, informações, poesias e etc. (Mais recentemente a parte de livros).

 


 Clique na imagem e conheça a comunidade.

Bom! E nessa celebração de 1 ano a comunidade está nos oferecendo um presente, trata-se de uma entrevista exclusiva com um dos Mc’s mais original do país, MC RAPadura. E mais, em primeira mão um som do mesmo que sairá na fita embolada (Versão original) e o mesmo nos concedeu para que possamos está aqui mostrando pra vocês nesta data tão importante pra VDRN. O som chama-se “norte nordeste me veste”, para quem preza por qualidade, inovação, flow, letra... Vai escutar um dos melhores sons do atual Rap Nacional. Lembrando que a versão original estará na fita embolada.O som será praticamente um Hino para o povo nordestino, mas que conterá o respeito de todos. Um som realmente foda.   

Para baixar o som clique AQUI  

ENTREVISTA:

 
VDRN: Em um trecho desse som você cita “tive que correr mais que vocês para alcançar minha vez”. Sabendo das tantas dificuldades que o nordeste sofre, nos diga como esta sendo superar o pouco desenvolvimento econômico e tecnológico da região, e fazer uma música de qualidade e inovadora?

RAPadura: Cabra, arrente já nasce abraçado a um cabo de uma enxada tendo ela como companheira pra tudo, é pouco tempo de colo e o resto da vida no solo, arrente aprende desde cedo que se chorar com a surra apanha mais ainda, isso acaba nos tornando mais duros e consistentes, mais rápidos e precisos pra não ter que apanhar da vida, e não ter que fazer todo o trabalho de novo. Numa região onde não se tem tanta tecnologia e não se tem uma economia de base forte o que fazemos é unir forças entre nós mesmos, nos organizamos e nos completamos nos espaços vagos. Se o que tenho são minhas mãos e minha enxada e eles tem tratores e cavalos, o que fazemos é nos organizar e unir nossas mãos e enxadas para que possamos arar o terreno em menos tempo possível, plantar boas sementes extraídas da própria terra e ter uma ótima colheita de cultura popular brasileira. Eles tem as máquinas e nós temos as mãos, eles tem os computadores e arrente a criatividade, eles tem os botões e nós temos as vozes e os violões. Por que temos que correr 3 ou 4 vezes mais que eles pra alcançar a mesma meta? Por que estamos nos interiores, nos sertões e eles já estão em cima da serra, na cidade. Mais isso agora vai mudar por que esse povo todo do interior cansou de ficar em baixo e vai tomar de vez esse lugar no topo que sempre foi seu por direito,oxeee.
 
VDRN: Muitos ainda não sabem o motivo do nome “rapadura”. Explique o por quê desse nome?

RAPadura: Quando me fazem essa pergunta eu costumo dizer que é por que “sou doce mais num sou mole” e ai caboco se dana na risada, risadas! Esse nome “rapadura” veio quando eu jogava bola nos campinhos de terra com meus amigos,toda vez que eu chegava do campo pegava um pote de rapadura e sentava no meio fio pra comer e ai todo mundo que passava fica falando,esse ai gosta de rapadura visse? Nunca vi desse jeito.e meus amigos começaram a falar (e ai rapadura? Beleza Rapadura? Me zoando, srsrs.) E acabou ficando inté hj. 
  VDRN: A cana de açúcar é um dos principais produtos agrícolas do Brasil, reconhecida e de interesse internacional devido ser a principal matéria prima do etanol. E é no nordeste onde se concentra grande parte da produção da cana de açúcar, produzido principalmente por alagoas, seguido por Pernambuco e Paraíba. Diante de tanta produtividade, infelizmente o nordeste ainda é a região com maior nível de pobreza. Qual sua opinião sobre isso?

RAPadura: Mãos pobres sempre sustentaram calcanhares ricos! Quando um país não investe na cultura do seu povo acaba arrancando suas raízes e braços orgânicos e implantando matrizes de traços mecânicos. Acaba por robotizar sentimentos, pensamentos e padronizando inté mesmo simples gestos. Ao invés de filhos tem escravos e ao invés de um povo tem empregados. A mão de obra barata é explorada inté hoje não só na produção de cana de açúcar, mais também nos cizais, usinas e fábricas de tijolos e telhas industriais. Crianças que poderiam estar estudando estão trabalhando e passando instantaneamente para a fase adulta prematura sem saber o que é infância. (O melhor do Brasil é o brasileiro) se isso fosse levado mesmo a sério não existiria tanta desigualdade neste país! Um país que não investe na sua educação e nem na sua cultura é um país que se mata pouco a pouco, dia após dia.
VDRN: O nome "fita embolada do engenho" nada mais é do que seguir as suas raízes, sua cultura e usar um termo que é nosso, ao contrário da mixtape, que é americanizada. Você acha que o rap nacional está sem identidade, está se preocupando muito com o rap gringo e esquecendo suas raízes?
RAPadura: Na verdade cabra, vou te dizer uma coisa, pra mim rap nacional é um rap extraído das nossas terras, se você pega e faz que nem os cabra de fora isso num tem nada de nacional. Nacional é o forró, o baião, o samba, a catira, folia de reis, o mara-baixo, tudo isso é nacional. Se você pega uma batida de rap seca com elementos que não são daqui e canta algo em cima isso pra mim não é nacional, nacional é quando tem a identidade brasileira introduzida, quando tem as caractéristicas daqui, quando sai do nosso chão. Não entendo bem por que usam esse termo “mix tape” sendo que “mix tape” nada mais é que “fita misturada” o povo parece que tem preguiça de criar, inté mesmo nomes, ao invés de trazermos esse reinado colonizador para as nossas terras por que não investimos em algo nosso para que possamos expressar o nosso país com mais força em países estrangeiros? Por que ao invés de importarmos não exportamos? É mais fácil pegar algo pronto do que criar algo único, mais por outro lado vc será pra sempre a cópia de algo ou de alguém.
VDRN: Nesse som na qual estamos divulgando hoje, contém um alto teor de critica para com algumas coisas que acontece no rap e acontece com o preconceito perante o norte/nordeste. Você não tem algum receio que esse som possa ser mal interpretado por alguns e vire motivo de criticas para sua pessoa?
RAPadura: Cabra, quando você coloca seu pé no chão, você num coloca só o pé, você coloca todo o corpo, alma e espírito também, depois de anos de exclusão, boicote e esquecimento o mínimo que podem fazer agora é reconhecer o que está visível a muito tempo, que o norte nordeste é a raiz desta árvore, as grandes metrópoles só existem por que nossos pais, avós e antepassados foram lá para construir, foi através das nossas mãos, do nosso suor que toda essa fera de concreto se ergueu, e hoje tenta nos engolir. Acredito que o rap serve pra expressar o que sentimos, o que queremos protestar, se não servir pra isso, acho que de nada serve. Todo mundo fica com medo de falar isso ou aquilo de cidades grandes, por que se apegam a ela como forma de conseguir alguma coisa, de se dar bem e de se aproximar de algum tipo de fama e sucesso, mais se eu não puder ser como eu sou e penso, eu não poderei ser nada, quem for maduro e inteligente vai entender o que quero dizer com isso, quem for imaturo infelizmente pode ser que encare de uma outra forma e eu tenho que respeitar a opiniões e diferentes pontos de vista, por que só com conflitos ideológicos que arrente cresce. Mais antes de entrarmos num debate, pensem nos anos que passamos as margens e subterrados, pensem no quanto fizeram mal a cultura, pensem que depois de anos surge alguém, e esse alguém está fora dos eixos, com coragem e argumento pra falar o que sente e o que pensa sobre todo esse monopólio, e que me aceitem como eu realmente sou, por que o Brasil é muito grande pra ficar preso somente as duas torres gêmeas.
VDRN: Como você se sente sabendo que a “fita embolada do engenho” vai ser o seu primeiro trabalho, e antes dele ser lançado...você já é tido por muitos como um dos mc’s que tem o melhor flow do país? E ainda ser apontado como um dos melhores mc’s?
RAPadura: Eu me sinto com mais responsabilidade ainda, por que se isso acontece agora quer dizer que depois disso na rua terei que ter mais compromisso ainda, por que assim como uma palavra pode fortalecer milhões de vozes, uma outra palavra pode te reduzir a rimas. Depois de quase 12 anos de trabalho eu tenho visto meu povo com a auto estima acima do comum, as pessoas começando a valorizar mais a sua terra e suas origens. A maior alegria que tenho hoje é de está servindo de inspiração e espelho pra muita gente, o negócio está tão pai d’égua cabra, que inté quem num é nordestino tá querendo ser também (risos)
VDRN: Após o lançamento da “fita embolada do engenho”, rapadura já tem algum outro projeto que possa ser adiantado?
RAPadura: Eita, que arrente vai arroxar visse? Para o ano que vem estou trabalhando no meu primeiro álbum (obra rural criação) que será a realização de um trabalho de quase 12 anos. Será um trabalho com um teor poético muito intenso e com uma versatilidade jamais vista. O que posso falar deste trabalho é que será a obra da minha vida, então aguardem uma obra cultural, artística e social inovadora, consistente e infinita.
VDRN: O que observamos hoje em dia são grupos sendo cópias de grupos. Na sua visão, qual o motivo de o rap está sempre vindo com as mesmas coisas? E para você, o rap está mesmo crescendo?
RAPadura: Isso acontece quando não temos identidade própria, quando não sabemos o que queremos pras nossas vidas, quando não temos um rumo a seguir e então ficamos batendo cabeça sem sair do labirinto interior que nós mesmo criamos. Muita gente ver alguém se dando bem em algo e tenta fazer do mesmo jeito mais isso nunca será possível, o criador jamais será superado pela criação, por que quem cria desenha ao natural e quem copia apenas amplia esse desenho que já tem o seu autor. Eu diria que a uns 5 ou 6 anos atrás o rap era mais sincero e politizado, era muito difícil você ver alguém falando besteira nas letras, cada um tinha seu estilo e o seu jeito de fazer rap, eu lembro que as letras falavam de problemas sociais, melhoria pra sua comunidade, lutar pelos direitos do povo, hoje em dia ficou muito banal e fácil fazer rap, hoje se tem estúdio barato, se tem mais eventos e mais portas de divulgação, isso tudo é muito bom pra quem trabalha com seriedade, mais por um outro lado fez muita gente se acomodar e fazer de qualquer jeito, as pessoas já não dão o valor devido a esta linda cultura que é o hip hop. O rap cresceu sim, mais em quantidade, a qualidade ainda está em falta diante do que poderíamos oferecer a quem nos ouve.
VDRN: E pegando o gancho da pergunta acima, o rap ainda sofre outro problema que é de pessoas de outros estados/regiões que se entregarem as gírias e costumes de outros estados só para ser mais “reconhecido” no rap nacional, como você enxerga isso?
RAPadura: Tem sido muito preocupante isso que está acontecendo, é uma das grandes causas da nossa falta de conhecimento e falta de aproximação de uns estados com os outros. Se cada estado tivesse um grupo de rap com a sua cara e sua essência nós aprenderíamos muito e ensinaríamos muito uns com os outros, isso não acontecendo, o crescimento e o domínio das grandes metrópoles tem aumentado sobre os outros estados e interiores brasileiros. Imagina você viajar pro ceará e conhecer grupos que fazem rap com forró, você viajar pra goiânia e ver gente fazendo rap com catira, indo para Pernambuco e vendo mc’s fazendo rap com maracatu, ir pra Brasília e ver as pessoas cantando o cerrado e a sua faúna, indo pro mato grosso e ouvindo grupos falarem sobre o pantanal e suas riquezas, indo inté ao Amapá e vendo grupos fazendo rap com o mara-baixo, isso é lindo demais cabra, é o que espero ver antes de morrer, é pelo que luto também , quero através da musica que faço acordar as pessoas pra isso, isso acontecendo não deveremos pra seu ninguém, não existirá mais monopólio nenhum e então poderemos gritar ao mundo inteiro que fazemos rap nacional, que fazemos o rap mais enraizado do planeta.
VDRN: Você é um cara que sempre frisou em suas letras um amor a cultura hip hop e um amor a cultura nordestina. O que você acha de pessoas que estão no rap apenas com o intuito de ganhar dinheiro? O chamado “rap comercial”?
RAPadura: Olha home, pra estar dentro disso primeiro tem que haver um chamado, algo que te toma por dentro e te faz realizar coisas que você nem sabia que podia fazer, é algo que brota em cada um, num é algo que você diga que vai fazer e faz, é algo mais forte que te toma e te capacita a fazer algo que você nunca viu em vida. Se você faz algo forçado direcionado a certo tipo de gente ou certo tipo de coisa tenha um mínimo de coerência de não chamar isso de música, música é algo que nasce espontaneamente, é algo que vem conforme o que você sente, não tem como você inventar um sentimento e cantar ele, sua alma só expressa aquilo que ela sente, você pode jogar palavras vazias ao vento,isso é uma coisa, agora exalar musica é outra coisa. O que podemos ver no cenário de hoje é todo mundo fazendo a mesma coisa, por quê? Por que ninguém quer expressar o que sente de verdade, sempre querem alguém pra copiar e tentar fazer igual e nunca vão poder por que cada um tem o seu lugar no espaço. O dinheiro pode comprar muita coisa, menos a dignidade, a sinceridade e a felicidade de um ser. Se o que faz é apenas para servir um comércio então estará vendendo a sua alma, por que sua poesia é a expressão do seu ser, e quando vende a expressão do seu ser está vendendo a sua alma.
VDRN: “...Arrogância de quem não merece o carinho do povo...” (a quem possa interessar). Você acha que esse é um dos problemas que o rap enfrenta? Pessoas que ao conseguir determinada “fama” começar a agir de forma diferente?
RAPadura: Quando você se coloca maior que o seu público você acaba calando sua própria voz, por que um artista sem povo não é nada, é como se fossemos o corpo e o povo a alma, juntos somos algo grande e sólido, separados somos estranhos e pequenos, somos vazios. Devemos utilizar deste dom construído com trabalho da melhor forma possível, se eu tivesse que falar só de mim e cantar só pra mim pra quê gravaria um disco então? Pra quê mostraria isso pra alguém? Se quero falar só da minha pessoa e cantar só pra mim, melhor gravar e ficar ouvindo em casa inté a velhice, inté chegar a morte. Mais se quero ser mais humano devo compartilhar de experiências com meus próximos, aprender e ensinar, somar e dividir, é matemática de vida, arrente tem que ser o povo e o povo tem que ser arrente.
VDRN: sabemos que a sua música tem influência do mpb, bossa nova, funk, soul, entre outros. Diga quais são os álbuns indispensáveis que nunca enjoa de ouvir?
RAPadura: Eita meu fi, são tantos visse? Prepare os lombo por que vou pegar pesado, seguraiiiiiiiii! Heleno ramalho-canção rural Banda de pau e corda-vivência Quinteto Armorial - do romance ao galope Lia de Itamaracá - sou lia Moacyr franco-nosso primeiro amor Jackson do pandeiro- tem jabaculê Luiz Gonzaga - sertão Mestre ambrosio - mestre ambrosio siba-siba e fuloresta Marines - nordeste valente
VDRN: Você é um cara que não expressa em suas letras questões como violência, crime, drogas... Mas mesmo assim consegue fazer um som bastante informativo referente a outras questões, como cultura, como preconceito com o povo nordestino e etc. Qual a realidade que vive o Rapadura? Qual a realidade que vive o povo nordestino?
RAPadura: Esse cearense que chamam de rapadura vive pela crença no que faz, tem alegria por que tem vida e tem vida por que luta. O que se mais ver é uns cabra com a cara feia, dizendo que é ladrão, que é isso e que é aquilo e dizendo que é do rap. (risos). Pra ser do rap tem que ter a cara feia é? Tem que ter ladrão? Nunca vi isso em canto nenhum! Eu sou um cabra povão mesmo, estou sempre compartilhando sorriso com as pessoas, tenho problemas e dificuldades como todo mundo tem, mais isso não me impede de sorrir e nem de cantar coisas boas nas minhas letras. Pra falar coisa ruim já tem muita gente, então me deixem falar das coisas boas, vamos equilibrar esta balança por que o povo brasileiro tem muita coisa boa também, ao invés de mostrarmos apenas o lado negativo por que não mostrarmos o que esse povo tem de bom também? Vamos valorizar mais a nossa gente. O povo nordestino é o povo mais alegre e simpático que conheço, é um povo que trabalha o dobro, que vive nas piores condições possíveis mais que nunca desiste e nem deixa de estender a mão a quem quer que seja.é um povo que dar a sua cama pra um estranho e dorme no chão. Tem uma criatividade tremenda para sobreviver, e vive a vida como se fosse sua arte. Povo pobre financeiramente, mass muito rico em espírito.
VDRN: Espaço totalmente aberto. Fique a vontade
RAPadura: Eita coisa boa cabraaaaaa! Gostaria de agradecer a toda vanguarda do rap nacional e seus companheiros empenhados em divulgar o verdadeiro rap nacional, e por me dar a oportunidade de me aproximar ainda mais de todo esse povo brasileiro, não consigo ver o artista longe de sua gente, é necessário estarmos mais perto sempre. Além da musica existe um ser humano, alguém igual a todo mundo com uma vontade incessante de ver esta cultura ainda mais forte. Além de adeptos existem pessoas que lutam para manter esta cultura viva, então que nos respeitemos como seres humanos que somos, e que encaremos isso com um compromisso sério. Gostaria de agradecer a todos os estados que tem me apoiado nesta luta sem descanso principalmente os conterrâneos e companheiros do norte nordeste, vamos com força meus irmãos e irmãs, pois somos muito mais do que pensam de nós. Quando a celebração acaba, desço do palco mais uma vez, bato de frente com a vida e é nela que a minha história esta sendo escrita. Pé no chão e vamo simbora! Oxeeeeeeeee! Oxente é arrente! Atenciosamente, Rapadura xique chico mais doce que o doce de batata doce, mais duro que carne de jegue! Inté!

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Corruptos ou assassinos. Qual criminoso é pior?

No post de hoje, irei por um execelente texto que encontrei navegando na internet esses dias  que traz a tona uma questão interessante: Corruptos ou assassinos. Qual criminoso é pior? Leia e tire sua proprias conclusões caro leitor.






O que é pior, o crime de corrupção ou o crime contra a vida? Essa pergunta às vezes é interpretada em termos de classes sociais. Corruptos são ricos; assassinos cruéis, pobres. Criminosos de colarinho-branco furtam dinheiro público e assim impedem a construção ou manutenção de hospitais e escolas.

Matam, ou pelo menos geram ignorância. Contudo, seu crime é cometido à distância. Eles, pessoalmente, não matam ninguém, não torturam, não se sujam. Outros criminosos roubam, olham a vítima na cara, espancam-na, às vezes a matam com crueldade. O dano que fazem aos cofres públicos é pequeno. Se medirmos o custo social de seus crimes, provavelmente é menor do que o dos criminosos elegantes e educados de cima.

Há várias maneiras de lidar com essa distinção. Podemos dizer que os primeiros criminosos, os ricos que furtam a todos nós, não representam perigo para nossa segurança física. São pessoas de convívio social possível. A pior pena para eles é forçá-los a devolver o dinheiro furtado. É provável que não lhes sobre nada.

Dificilmente usarão da força bruta contra alguém. Não precisariam ir presos, a não ser, claro, como exemplo e também para persuadi-los a devolver o que subtraíram. Essa é a tese de parte razoável de nossa imprensa: só deve perder a liberdade quem representa risco para a segurança (basicamente, física) dos outros. Mas nem todos concordam com isso. Porque desse modo vai para a cadeia o pé de chinelo, digamos assim, e não o grande criminoso.

Imaginemos a seguinte situação: um país, devido à corrupção, tem um péssimo sistema de Educação e oferece poucas oportunidades aos mais pobres.

Parte destes acaba indo para a criminalidade. Então, quem punir? Irão presos os pobres que assaltaram, estupraram, mataram. Já os ricos que roubaram dinheiro público devolverão o que puderem e terão uma pena alternativa.

Isso está correto, se as pessoas forem presas em função de sua periculosidade - isto é, do potencial de perigo que representam para a sociedade. Mas é injusto, se perguntarmos quem causou essa situação torta. Porque ficarão soltos os maiores responsáveis, os causadores da calamidade, e serão presas pessoas que, não houvesse a corrupção, talvez não fossem para o caminho do crime hediondo. Mais um ponto, aqui.

O sistema penal obedece a uma lógica dupla. Por um lado, pune em função do passado. Não é justo condenar alguém que não tenha cometido um crime. A justiça, neste caso, é retributiva, isto é, retribui o mal que foi feito. Mas a característica que enobrece a justiça moderna é não pensar só no passado, e sim no futuro. Deve-se pagar pelo que se fez, mas deve-se, sobretudo, pensar no que vai acontecer de agora em diante.

Isso quer dizer que alguém só deve ser preso, por exemplo, se assim evitarmos que cometa novos crimes, ou se dissuadirmos outras pessoas de o imitarem. Então, quem merece mais ir preso? O pobre cruel ou o rico corrupto? O diretamente mau ou o indiretamente malvado? Quem fez mal a alguns ou a multidões? Difícil essa opção. É evidente que, conforme eu formule a pergunta, induzirei mais uma resposta ou outra. Se perguntar quem é mais perigoso para encontrar na rua, é o bandido cruel. Se perguntar quem causou maiores males para a sociedade, é o rico corrupto.

Impunidade Esta discussão, no Brasil, tem um quê de abstrata. Mas, nos Estados Unidos, Bernard Madoff foi condenado a 150 anos de prisão. Mesmo que viva ainda muito tempo, não deverá sair nunca da cadeia. Seu crime - furtar uma fortuna de ricos e de fundos de caridade - veio à luz em dezembro de 2008; foi condenado em sete meses.

No Brasil, provavelmente nunca seria preso. O Supremo o soltaria, se um juiz o condenasse. Se um dia fosse julgado em última instância, algum detalhe processual o salvaria.

Mas a discussão, em tese, continua válida. Porém, só à primeira vista a oposição aqui está entre direita e esquerda. Sim, porque a um olhar apressado parece que a cadeia para os violentos (isto é, os pobres) seria uma opção de direita. Os ricos protegeriam os seus, é essa a ideia.

Só que está errada. O erro é que ladrões como Madoff não roubaram pobres - com exceção, talvez, de alguns fundos. Suas principais vítimas foram os ricos. Todos sabemos de ladrões de casaca que deram golpes na praça, prejudicando grandes empresas ou empresários, e soltos ficaram. Portanto, não prendê-los não é proteger os ricos. É, justamente, não protegê-los...

Há uma discussão clássica a respeito. Na Inglaterra do século XVIII, como em vários países europeus, a pena de morte se aplicava a muitos delitos hoje tidos por leves - como o furto, digamos, de uns R$ 20. Um historiador comentou que isso provava o caráter de classe de uma justiça que enforcava os pobres. Foi fácil contra-argumentar que quem rouba ricos pega valores bem mais altos: um furto de R$ 20 é um crime contra pobres. Portanto, a Justiça da época podia até perseguir os pobres, mas não por este argumento - que mostra justamente que ela protegia a propriedade, ainda que pequena, dos pobres.

Mas o debate daqui é difícil de resolver. Procurei expor duas posições. Tentarei uma conclusão provisória. Defender penas altas para quem agride fisicamente outra pessoa é uma reação talvez mais frequente das pessoas. E há uma razão para isso. Quem "mata rindo", para citar o codinome de um bandido particularmente odioso, vai muito longe na desumanização.

Uma pessoa que, quanto mais sua vítima implora, mais a agride, é alguém a quem falta o mínimo de contato social. O corrupto Bernie Madoff talvez tenha, em comparação, uma dificuldade maior de ser tão desumano - de olhar na cara a sua vítima e de gozar com seu sofrimento. Talvez o grande ladrão goze apesar do sofrimento alheio. Talvez o criminoso cruel goze graças ao sofrimento do outro. Não deixa de ser uma diferença.

Autor: Renato Janine Ribeiro, professor titular de Ética e Filosofia Política na Universidade de São Paulo.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

TEMPOS ATUAIS

Preferem comida pronta, felicidade instantânea e modas, preferem seguir os estereótipos impostos pela sociedade mídia e governo simplesmente por aparência ou estar incluído em um grupo e não por estar se sentindo bem, Uma geração em que a “mãe” dos baixinhos foi uma prostituta e o “pai” um rapaz com o vulgo de” Malandro”. Geração destruída por gerações anteriores que fizeram do meio de comunicação, religião e musica meio de manipulação acompanhado de forte material alienador aguçando um capitalismo feroz e sem limites algemando e robotizando totalmente o povo para continuarem no poder alimentando a cada minuto, latifundiários,banqueiros e toda a elite cada dia mais fútil e exploradora, alias, sinto uma dor imensa em dizer – lhes que o ser humano em geral a cada dia se torna mais fútil.

Esqueceram a função educativa e instrutiva matando aos poucos os nossos jovens valorizando ostentação, prostituição a luz do dia em troca do capital de poder e vaidade como sempre os três elementos que vem arrastando a humanidade para um buraco sem fim esquecendo o futuro e os monstros que estão construindo em cada lar.... Aonde chegaremos ?

É me parece que de fato a contraditória Bíblia Sagrada esta correta quando se fala em apocalipse. O ser humano se tornou um animal domesticado e “cego” fazendo da liberdade pura utopia igual a paz mundial por simplesmente esquecer de suas próprias fontes e raízes.

Hipócritas por todos os cantos, os que estão no poder e os afortunados dizem que amam o povo por pura massagem de ego, e por interesse do próprio amor querem que os passos da desigualdade continuem sempre desiguais pois caso contrario estragaria toda a posição de debruça mento sobre a classe inferior e os que estão na miséria dizem que amam o país e toda essa gente acolhedora que aqui jaz sendo que ninguém os assiste apenas os exploram e eles por si próprios não se movem para algo seja uma revolução ou simples reivindicação em sua própria comunidade.

Dizem que o movimento jovem não tem a mesma força e atitude dos jovens de antes, acredito que não seja apenas o jovem que esta sem apetite para a mudança e sim todas as faixa etárias o povo encontra – se em profundo acomodamento.

Oferecem - nos a "comodidade" agente “abraça” e agradece, em troca damos (Voto) e (Bastante auto alienação). Antes de pensar em mudanças no cenário medíocre em que nos encontramos... primeiro temos que começar por nos mesmo fazendo uma revolução mental para que estejamos aptos para arrastar multidões na melhor hora.

Quero vingança, agora se tornou pessoal jogaram meu povo no lixo estão até negociando com nossa saúde pra encobrir a sujeira do congresso nacional, negociando com a educação de vossos filhos para que não percam o poder.

Se te disserem que és um pessimista como vários comentaram sobre minha visão e de meus companheiros com certeza falaram pra ti, diga a eles que você não é um filho que foge a luta , és um realista que faz e que vai fazer por onde merecer o nome que carrega e que devem considerar a possibilidade de você não voltar pra casa pois são tempos de guerra e é nossa obrigação mudar o quadro atual.

Em fim... Conheça sua mente para que não caia em suas próprias armadilhas e em arapucas gigantescas que vos cerca, seu pior inimigo é o medo, não há infelicidade maior do que ter medo de ser feliz a rotina e o tédio faz com que sua vida passe em um ligeiro piscar de olhos eles tornam-se adereços perigosos para seu dia a dia, pois é fato que seu interesse pelo mundo exterior some ao passar do tempo então a comodidade te domina tornando - se um perfeito alienado simples de ser manipulado você se torna um corpo ”sem vida” aonde seus objetivos e vontades são direcionados e influídos por quem tem interesse na sua derrota, ou seja, um algemado mentalmente que não tem opinião e discernimento próprio.

Uma das maneiras de buscar rejuvenescimento contínuo é a fome pela sabedoria buscar conhecimento pois “uma vez sábio rico pra sempre” e intercalar hábitos renovando sua sensação de tempo e utilidade dele.
Saber e sabores palavras que fazem um par perfeito e andam em perfeita sintonia sua visão com o saber é ampliada de uma forma incomensurável te dando o poder de saborear milhares de sentimentos observadas em pequenos gestos ou palavras.

Escrito por Danillo Britto

"...A sua luta é a nossa luta caro leitor, a revolução começa na sua mente..."



Clique na imagem e faça parte da comunidade UNIÃO LIBERTÀRIA

"...Abraçe essa luta que tambem é sua..."

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Perfect's Mc's

Saudações aos irmãos que acompanham esse humilde blog.

Bom, na postagem de hoje irei apresentar o Grupo de rap "Perfect's Mc's" da minha cidade(Açailandia-MA), até mesmo para dá um certo valor e fortalecimento aos parceiros que tem muito a mostrar, a aprender e crescer no movimento. Eu como admirador e seguidor do rap fico feliz pela existencia do grupo sendo que na cidade é raro encontrar grupos de rap que seguem uma  ideologia revolucionaria e tal.
Fica aqui meu apoio e admiração pelos irmãos que estão nessa caminhada, que será longa e evolutiva.

Logo abaixo você irá conhecer como se originou o grupo e encontrara 4 sons do grupo disponiveis para download.

Perfect's Mc's






Perfect’s Mc’s, um grupo de rap de Açailândia no Maranhão, composto por três integrantes, Browlly, Flash, e Raffa.

Tudo começou em 2007 dentro da sala de aula de uma escola, um dos integrantes do grupo (Flash), começou a compor rap no meio das aulas, todos os seus amigos o criticava dizendo que isso não tinha futuro, que ele nunca ia conseguir gravar uma música, só um de seus amigos (Browlly) o apoiava dentro da sala, achava os rap’s que ele compôs bons e começou a compor também.

Quando Browlly terminou de compor o seu primeiro rap, mostrou para o Flash que olhou e viu que era do mesmo nível que os seus, então surgiu a idéia de forma um grupo de rap, só que com duas pessoas não ia ser um grupo e sim uma dupla.

Eles tinham um amigo (Raffa) que estava morando em Brasília, eles falaram para ele que estavam fazendo rap e que iriam montar um grupo só que faltava um integrante, então o chamou, ele aceitou, mas continuou morando em Brasília.

No começou de 2008 ele veio morar em Açailândia, então se formou o grupo Perfect’s Mc’s.
O nome deles são André (Browlly), Leandro (Flash), e Rafael (Raffa).
Cada nome de trabalho dado aos integrantes do grupo tem uma explicação, Browlly é porque a rima dele é muito boa e forte, Flash porque ele é rápido na rima e no improviso e Raffa é uma Abreviatura do seu nome.

Mas por enquanto só dois cantam no grupo, Browlly  está morando em outra cidade, nas proximidades de Açailandia.

A nossa primeira gravação, foi feita meio que no improviso, o primeiro rap a ser gravado foi o ‘Vende- se um Coração’, a história foi meio engraçado, o Flash tava namorando com uma garota, daí num sábado da vida, eles terminaram; domingo de manhã o flash, apareceu na minha casa (Raffa), falando sobre o rap  que ele estava fazendo, e tipo bateu uma idéia de  fazerem o rap, tanto o Flash como o Raffa, tava na mesma situação, um namorando e  outro recém solteiro, Flash fez a parte falando sobre relacionamento, e o Raffa terminou o rap. Após ter gravado o rap, mostraram para alguns amigos, e eles aprovaram, daí criaram outros, e sempre os amigos incentivando.

Mas nem sempre foi assim, quando estudava, tanto os pais como os colegas de sala tirava onda, dizendo que era apenas um sonho, mas nunca baixaram a cabeça para os obstáculos, seguiram quebrado as barreiras postas por todos.
A rimas saem de acordo com a situação por qual eles passam, todos os rap’s feitos por eles tem uma explicação, foi algo vivido por eles.

Temática: Mulheres, problemas dentro de casa, no convívio social e a realidade

Segue os sons do grupo para baixar (clique na musica):


Musicas:







terça-feira, 13 de outubro de 2009

Rimas de sangue - Shekinah Rap




Salve irmãos de todo o Brasil

È como muita satisfação que hoje o blog Mente consciente está divulgando três faixas ineditas  do novo trabalho que vem em breve do grupo Shekinah rap, Rimas de sangue. O grupo ganhou destaque depois de ter lançado o primeiro CD "Mais que poesia" tendo a faixa "O Choro de uma mãe" como uma das musicas mais elogiadas pelo público, dentre várias outras. Seu novo CD "Rimas de sangue" estara nas ruas em novembro para todos aqueles que admiram o trabalho desse excelente grupo de Rap Gospel. E contara com diversas participações de renome no cenario do Rap Nacional.

Para conferir os tres novos sons do grupo clique AQUI

Atenção: Para quem tiver interesse de adquirir o Cd "Rimas de Sangue", é só deixar um recado no post com o seu MSN que estaremos disponibilizando as devidas informações.

Segue uma sintese sobre o disco "Rimas de sangue":


O segundo álbum do grupo - Rimas de Sangue - fala do sangue derramado nas ruas que tem assolado a humanidade, hora distante, quando vemos nos noticiários, hora próximo demais, quando atingem nossas famílias com tragédias que poderiam e podem ser evitadas por aquilo que o Evangelho diz: o reconhecimento de outro sangue derramado, o sangue inocente e remidor de Jesus Cristo, sendo assim o foco e conceito do título Rimas de Sangue, um paralelo entre ambos os universos que falam de sangue.

Para tratar do assunto em cada faixa do disco, tudo foi pensado e colocado de forma ímpar tanto no conteúdo escrito por Biorki quanto na produção assinada por Marcelo Guerche (DJ Morgado). Participações especiais dão um brilho único ao álbum, entre elas, Pop Black em 'Firme Na Missão', Lito Atalaia em 'Start', DJ Jamaika em 'Não Tem Mais Desculpa', Renan (Inquérito) em 'É Por Você', Fex Bandollero em ‘Quero Sonhar’, SL e Bruna (Missão Resgate) em ''Por Que Jesus Chorou?, e Bruna Dias em 'A Mãe, o Filho, e as Grades', voz que marcou em 2007 com a interpretação em 'O Choro de Uma Mãe'. São 17 faixas de conteúdo lírico forte, beats e samples compostos com a essência e swing dos sons das ruas, características nos atuais trabalhos do selo RimaCruz.

"É por você que a tinta da caneta escorre..."
 

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Dias das crianças e dai?













Sem muito a dizer!
Fiquem com o video da musica "12 de Outubro" do Facção Central que retrata muito bem o universo das criancas sem futuro.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Entrevista Dignos

Confira a entrevista exclusiva com Carlão do grupo Dignos no blog Vanguarda do Rap Nacional e baixem uma faixa inédita do grupo.

Para ler a entrevista clique AQUI



 

Paz!!!!!!!!!

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Tem que ser humilde

Salve, salve rapaziada.

Se liga só...

Saiu um dos clipe mais esperado do ano no cenario do rap nacional "Tem que ser humilde"do rapper Lindomar 3L.

Ei Tio !!!
Tamo junto Uai!

Confira:

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Prefiro sonhar.

Ao acordar nada é novo
O sol é o mesmo de ontem
E será o mesmo amanhã
Talvez brilhe mais, talvez brilhe menos
Tanto faz

Acordei com vontade de dormir
Não quero ir para onde tenho que ir
Queria fugir
Quero fugir!
Queria sonhar acordado
Não quero esse pesadelo de mentiras
Nos meus sonhos eu vejo verdade
Respiro harmonia
Ando de mãos dadas com a felicidade
Meu sorriso vive no rosto
Atento-me somente as coisas boas da humanidade

Quando acordo eu fico incerto
Confundo ficção com realidade
Mas observo os que me cercam
E vejo o mar de falsidade
Percebo definitivamente que acordei
Do meu sono infelizmente despertei
Fico aflito
Inquieto
Paro e reflito
E concluo que eu não me enquadro nesse circo

Como um alienígena eu ando nas ruas
Me sinto estranho
É como sentir sede em frente ao mar
É como estar na multidão e não ter com quem falar
Ao andar nas ruas vejo gente
Gente sorrindo
Gente fingindo
Gente mentindo
Não agüento mais isso

Quando estou acordado me sinto num palco
Pena que o elenco é um horror
Não me encaixo nessa peça de teatro chamada realidade
Prefiro sonhar
Nos meus sonhos eu amo de verdade
Divirto-me de verdade
Falo somente a verdade
E o melhor...
Eu vivo de verdade.

Autor: BrunoRico